terça-feira, 22 de outubro de 2019

Sobre O Meu Primeiro Emprego

Aviso: quem tiver interesse em fazer o layout do meu blog, estou disposto a pagar. Quero algo mais profissional. Contato: intendentefrugal@gmail.com




22/10 (não posso revelar o ano por questões de sigilo) eu relembro que estava iniciando meu primeiro emprego: estagiário de Banco.
Ah, como o tempo passa rápido! Até parece que foi ontem!!

Lembro-me que ia de moto para o estágio faça chuva ou faça sol. Nunca gostei de faltar. Minha unicas 2 faltas durante 1 ano de estágio foram dois acidentes de moto que sofri.

O estágio, confesso, não me ensinou muito na minha área. Ele não era estruturado para tal. O que aprendi foi mais por conta própria mesmo e pela observação do comportamento alheio. Eu conseguia perceber olhar de inveja de um funcionário pra outro, comentários maldosos mas, também, pessoas de boa índole.

Devo, também, ao estágio, a gana de saber que não é impossível ficar rico. Em uma das funções do sistema de informações interno, era possível ver o salário de cada cliente e eu ficava estarrecido ao ver haviam pessoas que ali transitavam e ganhavam seus 15-20k. Não sei explicar bem mas pra quem vem de uma família humilde de uma área periférica da cidade que encontra em seus pouco mais de $900 de bolsa de estágio a sua felicidade, ver alguém que ganha 17k próximo era bem inusitado.

 Devo a esse estágio também a noção de que você pode ganhar muito e ser uma pessoa simples, sem extravagâncias. Não era raro que clientes "Classe A", que ganhassem seus 10-20k, chegassem à agência com roupas simples e também tivessem um trato simples. Diferentemente de outras pessoas que andavam de nariz empinado, maltratavam os funcionários do Banco, mas que estavam atoladas em dívidas. 
Eu sempre tive inclinação para ser uma pessoa desapegada de bens materiais e status mas esse contraste visto ao vivo sedimentou meu pensamento relacionado a consumo e postura humilde.

 Lembro-me, também, que os gerentes viviam desesperados para que os clientes tomassem empréstimos, títulos de capitalização... para que pudessem progredir na carreira. Obviamente, nada mais que o trabalho deles. Por outro lado, eu ia percebendo que os produtos não eram vantajosos e os clientes se davam mal, muitas vezes, por pura ignorância. Isso despertou em mim uma grande desconfiança em relação a esse tipo de serviço e essa característica me acompanha até hoje.

Pode parecer que aprendi muito em um cargo tão simples e periférico numa cadeia de ação muito maior que eu mas acredito que em todo tipo de experiência podemos nos desenvolver e crescer enquanto homens.

Aqui fica o encorajamento: por mais simples que seja sua ocupação, procure tirar as melhores lições dela pois um dia podem ser muito úteis! 


Mudando um pouco de assunto...

Antes de fechar o balão, vi-me obrigado a contar pra uma pessoa que sou dono desse blog e blablabla pois, caso eu morra, eu queria que fosse escrito aqui quem realmente fui em vida. Essa pessoa é de confiança e se eu vier a morrer, ela irá postar aqui quem fui, minha história, características, vídeos... Já tem um post salvo aqui no blog como rascunho. Ela só precisará publicar. Espero que isso demore bastante a acontecer mas, como aconteceu com o Viver de Construções   e a esposa dele acabou noticiando o falecimento dele. Creio que é uma forma interessante de demonstrar respeito pelos meus caros leitores bem como demonstrar que nossa vida é algo muito frágil frente às intempéries do mundo.

 "Poxa, IF tava indo tão bem e morreu!!"  

No mínimo, ficaria o ensinamento que dinheiro não é tudo e que de nada adianta nos privarmos do mais amamos em prol de um futuro material que precisa de sacrifícios muito grandes.

Meus queridos, um forte abraço e que Deus os abençoe!



É isso aí, confrades! Força e Honra! Até uma próxima oportunidade!



Intendência!!!





Abraços!!

10 comentários:

  1. Legal os post e as lições que você tirou do seu primeiro emprego intendente, mas achei besteira isso que você falou no final. Um cara novo como você ficar veiaco com a morte. Caras novos como nós temos que viver a vida como se fossemos viver até os 100 anos de idade ! E tipo, se você morresse hoje, porque iria se preocupar se os seus leitores foram avisados ou não ? kkkk !

    Sei lá, cada um é cada um, mas achei sem sentido isso aí.

    Fique com Deus !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Peão! A jiripoca já piou por aí? Kkkk


      Então, cara.. eu pensei bem nessa questão de avisar aos leitores e tal... Mas eu acho importante, sabe? Sei q pode parecer estranho kkk mas veja bem... Isso não anula o fato de q vivo a vida Intensamente... Uma coisa não anula a outra.

      Fique com Deus também! Um forte abraço!!

      IF,

      Excluir
  2. Fez bem ao contar pra alguém sobre seu blog. O viver de construção está na memória de muitos leitores, era muito querido. Com certeza sua esposa deve ter lido todas as mensagens e mesmo no auge de sua tristeza, se sentiu orgulhosa por um dia ter amado uma pessoa do bem.

    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, SEI!


      Realmente, o vdc é um marco na Finansfera. Seja pela quantidade de posts bem como pela qualidade Também.

      Além da questão do relacionamento com os leitores, tem também a questão de que aqui fica registrado muita coisa da minha vida... O que acaba sendo meio que um relatório geral kkk

      Um forte abraço, meu querido!

      IF

      Excluir
  3. Olá, IF.

    Bom que você aprendeu com o estágio. Conheço gente que já foi gerente de banco e disse que se sentia muito péssimo em ser obrigado a vender esses produtos de qualidade duvidosa para os clientes.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Cowboy!! Tudo na paz?

      Então, meu caro, realmente essa situação era bem comum. Era meio que um conflito ético do indivíduo vender algo ruim como se fosse bom. O limite entre o exercício profissional e a consciência limpa era um conflito constante no pessoal que lá trabalhava.

      Um forte abraço!!

      IF

      Excluir
  4. Muito interessante sua experiência de primeiro emprego.

    No meu primeiro emprego eu comecei em uma função administrativa em que era praticamente o último na cadeira hierárquica da empresa (ganhava um salário minimo praticamente, por 44 horas semanais) tinha que atender a solicitação dos outros profissionais e muitas vezes tinha que executar funções totalmente estranhas ao meu cargo, sempre executei com humildade pois sabia que precisava do emprego, porém, é triste muitas vezes ter sido praticamente humilhado no local de trabalho. Tempos depois alcancei nessa empresa o mesmo cargo que eles e assim me tornei um igual, mas aprendi como lição o fato de ser sempre importante tratar ás pessoas com respeito e empatia.

    O importante é como você mesmo disse: sempre tirar o melhor de cada emprego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Sr. Jovem!!!


      Então, eh isso aí! Temos que buscar o melhor possível pras nossas Vidas e, até mesmo em experiências ruins, podemos aprender coisas boas!

      Excluir
  5. Fala Intendente,

    te mandei email aí sobre o layout do blog.


    Abraços,
    Maromba Investidor
    https://marombainvestidor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Maromba!!! Vi o e-mail aqui! Vou aproveitar o fds pra editar isso no notebook caso ache necessário hehehe


      Brigadão!!!


      Forte abraço!!

      IF

      Excluir